Análise fundamentalista: o que é e como investir com inteligência!

Vitor Precioso

16 junho 2022 - 09:42 | Atualizado em 12 abril 2023 - 18:03

o que é análise fundamentalista

São tantas empresas de capital aberto negociando ações no mercado financeiro, que pode ser difícil saber escolher em qual delas investir, nesse momento entra a Análise Fundamentalista.

Na hora de tomar a decisão, muitos investidores usam de análises técnicas ou relatórios referentes à organização para descobrir se a empresa é ou não uma boa oportunidade.

Quais critérios você classifica como fundamentais na tomada de decisão? E qual é o modo mais adequado para receber dados e realizar um diagnóstico inteligente sobre os investimentos?  Você faz análise fundamentalista para identificar a solidez e a rentabilidade de uma organização antes de investir nela?

Nesse artigo você vai entender como a análise de dados fundamentalistas pode ser um divisor de águas para você obter sucesso no mercado financeiro. Também, como usar uma API para coletar dados e integrar suas plataformas de investimento. 

Boa leitura!

O que é a análise fundamentalista 

Você já deve ter visto um grande investidor ou até mesmo o líder de um país comentar algo sobre uma empresa e logo depois as ações dispararem na bolsa, ou simplesmente, despencarem. E, no dia seguinte ou em apenas uma semana, a oscilação diminuir e tudo voltar ao normal. 

É comum, notícias como a divulgação de lucros, dívidas e escândalos  de uma instituição fazerem as ações se movimentarem no mercado.

Mas a médio e longo prazo, esses fatores não bastam para diagnosticar o valor real da empresa. Quem quer ter sucesso no mercado financeiro precisa conhecer e entender os fundamentos da organização antes de aplicar. 

Se perguntássemos o que Warren Buffett e o brasileiro Luiz Barsi têm em comum, o que você responderia? 

Ambos usam a análise fundamentalista para descobrir onde, exatamente, eles devem olhar com mais atenção. Embora essa análise seja complexa, é  um instrumento necessário e de grande valia para ter sucesso na bolsa.

A análise fundamentalista envolve o estudo da situação financeira e das projeções de uma instituição. Seu objetivo é oferecer dados substanciais para descobrir o potencial de crescimento da empresa a médio e longo prazo.

Para que o trabalho da análise fundamentalista seja completo, o investidor deve considerar quatro aspectos:

1- Análise macroeconômica

Geralmente, a localização onde a instituição está inserida pode influenciar nas projeções do negócio. Nessa etapa de estudo, deve-se considerar dados referentes a região como, por exemplo, PIB (Produto Interno Bruto) do país, inflação, taxa cambial e de juros e poder aquisitivo da população.

2- Análise microeconômica

Em geral, estes fatores não causam impacto na economia macro. Isso porque estão relacionados diretamente à uma empresa ou setor. Um exemplo de fator microeconômico são os preços de uma commodity, como do petróleo ou minério de ferro. 

No ambiente da microeconomia, a análise fundamentalista de ações pode considerar ainda a gestão empresarial, concorrência, os insumos e bens de produção.

3- Análise setorial

Após o estudo macroeconômico, o investidor deve setorizar os dados agregados anteriormente. Isso é necessário, pois setores são impactados de maneiras distintas pelos acontecimentos da macroeconomia. Um país com desvalorização da moeda local, mas com dólar valorizado, por exemplo, atrapalha empresas importadoras e beneficia as exportadoras.

4- Análise da empresa

A análise da empresa é realizada por meio do estudo dos dados de negócio que considera a situação financeira, econômica e setorial da instituição.

Como falamos acima, o foco é estabelecer o preço real da companhia e por consequência, de suas ações. Para então especular as perspectivas na bolsa.

Análise fundamentalista e análise técnica

Caso você nunca tenha feito a análise fundamentalista, provavelmente já usou a análise técnica. A diferença entre às duas maneiras de estudar o mercado é que a fundamentalista se baseia nos fundamentos econômicos, setoriais e contábeis para saber em quais empresas o analista deve investir. 

Enquanto na análise técnica, é priorizado o estudo dos gráficos com as movimentações anteriores dos preços e dos volumes das negociações para fazer a projeção futura das cotações.

APIs e seus muitos dados fundamentalistas

A API (Application Programming Interface) possibilita a troca dos dados, comandos, informações ou quaisquer funções tecnológicas relevantes. Essas conexões são possíveis porque possui  padrões de instruções, regras, ferramentas e métodos de programação que permite que qualquer negócio possa utilizá-la para integrar seus sistemas.

Os dados financeiros e o resumo da situação econômica da instituição oferecem uma série de indicadores como liquidez, eficiência, endividamento, rentabilidade e preço, fluxo de caixa, patrimônio passivo e ativo. 

Não só isso, informações como EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização), margem bruta,  DRE (Demonstração do Resultado do Exercício e valor adicionado. Todos indicadores fundamentais para que o investidor saiba o valor intrínseco da organização. 

Veja agora como usar alguns indicadores fornecidos por meio das APIs fundamentalistas:

PL (Preço/Lucro)

É o indicador utilizado pelos analistas fundamentalistas. Para chegar ao valor do PL, é preciso dividir o preço de uma ação – sua cotação na bolsa de valores – pelo lucro líquido da empresa por ação. Basicamente, o PL indica o tempo necessário para o investidor receber de volta o valor que investiu sob a forma de dividendos.

P/VPA (Preço / Valor Patrimonial) 

Esse indicador compara o valor de mercado de uma empresa com seu valor contábil, e não é um indicador relacionado à rentabilidade. É calculado dividindo-se o preço por ação pelo valor patrimonial ajustado da empresa, também por ação.

DY (Dividend Yield)

Aqui trata-se da taxa de retorno com dividendos. Demonstra os ganhos obtidos pelos investidores na distribuição de dividendos em relação ao preço pago pelos papéis. Seu cálculo é feito dividindo o valor esperado em proventos, por ação, pelo preço atual do papel.

ROI (Retorno sobre Investimento)

O ROI é o retorno sobre aquilo que foi investido pela organização. De maneira mais simples, representa a capacidade dos ativos da companhia gerarem lucro.

EBITDA

EBITDA (earnings before interest, taxes, depreciation and amortization)  significa lucro antes de juros, impostos depreciação e amortização. E representa o resultado da operação em si da empresa. 

O poder dos dados na hora de investir

As informações obtidas por meio das APIs de dados fundamentalistas transformam a maneira de investir no mercado financeiro. Isso porque o investidor consegue ter maior embasamento no momento de escolher suas operações. 

Da mesma forma importante para  escolher os tipos de operações, a análise fundamentalista também é fundamental para o investidor obter melhores resultados nos seus investimentos.

Para continuar informado sobre as melhores formas de investir, acompanhe as novidades do nosso blog ou fale com um de nossos especialistas.

Recomendados para você

Cedro disponibiliza novos serviços de Market Data B3 baseados em Websocket ...
Pessoas apertando mãos simbolizando um negócio fechado
Fintechs podem ajudar grandes players do mercado ...
Pilha de moedas em frente a computador exibindo gráfico
Comprar ações ou investir em fundos? Saiba qual dá mais vantagem para você! ...